03/05/2014

[Resenha] As Mentiras de Locke Lamora - Scott Lynch

As Mentiras de Locke Lamora
Scott Lynch
Tradução por Fernanda Abreu
Editora Arqueiro
416 páginas

O Espinho é uma figura lendária: um espadachim imbatível, um especialista em roubos vultosos, um fantasma que atravessa paredes. Metade da excêntrica cidade de Camorr acredita que ele seja um defensor dos pobres, enquanto o restante o considera apenas uma invencionice ridícula.

Franzino, azarado no amor e sem nenhuma habilidade com a espada, Locke Lamora é o homem por trás do fabuloso Espinho, cujas façanhas alcançaram uma fama indesejada. Ele de fato rouba dos ricos (de quem mais valeria a pena roubar?), mas os pobres não veem nem a cor do dinheiro conquistado com os golpes, que vai todo para os bolsos de Locke e de seus comparsas: os Nobres Vigaristas.

O único lar do astuto grupo é o submundo da antiquíssima Camorr, que começa a ser assolado por um misterioso assassino com poder de superar até mesmo o Espinho. Matando líderes de gangues, ele instaura uma guerra clandestina e ameaça mergulhar a cidade em um banho de sangue. Preso em uma armadilha sinistra, Locke e seus amigos terão sua lealdade e inteligência testadas ao máximo e precisarão lutar para sobreviver.

As Mentiras de Locke Lamora já chama atenção pela sua capa maravilhosa e não fica só nessa, sua história também possui uma qualidade inegável. Scott Lynch cria seu próprio campo no universo da fantasia e dá características únicas tanto para seus personagens como para com seu universo e sua história.

A história intercala entre passado e presente do protagonista, Locke, que é um personagem totalmente diferente. Ele é dono de uma grande inteligência e esperteza que farão dele um homem certamente intrigante. A qualidade do livro só vai aumentando no decorrer do dia-a-dia de Locke, que é sempre envolto a roubos, brigas e confusões. Isso prende o leitor e o deixa completamente intrigado a saber mais do que virá pela frente.

Lynch utiliza de uma escrita leve e ágil. Suas descrições não são longas, mas extremamente bem construídas para que o leitor possa ter conhecimento do sistema político da cidade, que aliás, faz parte da incrível imaginação e ousadia do autor. Ao invés de se utilizar do cenário britânico na idade média, o autor utiliza uma Veneza medieval. Completamente inovador e incrível para o leitor. 

O livro conquistará os leitores por trazer de tudo um pouco: estratégias, perigos, ação, suspense, revelações, reviravoltas e tudo envolto a uma grande carga de sarcasmo e esperteza do nosso protagonista. E não é preciso ser um grande fã do gênero para se interessar por isso, até porque Scott nos apresenta uma história de leitura rápida e prazerosa. Recomendado!
 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team