10/02/2014

[Resenha] Especiais - Scott Westerfeld

Especiais 
Scott Westerfeld
Tradução de André Gordirro
Editora Galera Record
352 páginas

Scott Westerfeld com certeza deve ter conseguido milhares de fãs com sua tão famosa trilogia Feios. Quando iniciamos a leitura do primeiro livro ficamos completamente imersos no mundo que o autor cria e nos apegamos a seus personagens tão repletos de sentimentos e inseguranças. Já no segundo volume, os personagens começam a criar uma personalidade insensata sem conseguir voltar as suas origens. E é no volume final que Scott decepciona: a trama que antes tinha tudo para ser uma grande distopia se torna um emaranhado de complexidade, falta de respostas e cria um grande ponto de interrogação para seu final.

Nossa protagonista, Tally, agora é uma Cortadora e, junto de outros jovens, é uma especial com uma missão importante: destruir a Nova Fumaça. Ela se tornou muito bela e perigosa, com seus sentidos aguçados, ela é uma arma letal. Porém, memórias e sentimentos do passado a obrigarão a decidir de que lado está: dos terríveis especiais ou daqueles que antes ela amava.

Sinceramente? Não dá pra falar sobre cada personagem individual, já que a única descrição para todos é: insuportáveis. Tally não se decide, Shay continua sendo intolerável, David se torna uma pessoa que não tem critérios, opiniões ou ideiais, Zane mal aparece na trama e é isso.

A sinopse nos prometia que Tally lembraria-se de seu passado, mas não, não acontece nada com ela, aliás, não é nada explicado. Sim, Scott cria um emaranhado mal explicado e eu me senti agoniado, quase com uma fobia por Tally não abrir os olhos e dizer: ei, eu virei uma especial, mas preciso salvar meus amigos. Ela até tenta fazer isso, mas não sinto que ela foi curada completamente.

Scott não soube mesmo como terminar sua trilogia e, por mais que em alguns momentos eu sentia que a história ganhava um rumo interessante, ele ia lá e destruía tudo com explicações sem sentidos, ideias sem nexo e coisa do tipo. Ele perdeu o jeito de deixar um cliffhanger nos finais de capítulos e de surpreender com uma revelação chocante. É tudo impossível de entender.

Aliás, me desculpem se essa resenha está confusa ou repetitiva, porque na verdade não há nada o que dizer sobre esse volume que nem eu entendi direito. Não seria tão mais simples se o autor não fizesse de Tally uma incógnita e voltasse aos padrões do primeiro livro? Eu torceria para que tudo desse certo e houvesse uma batalha em que o governo cairia, mas até mesmo quando há uma batalha não há um propósito.

Eu me decepcionei de uma maneira que nunca havia me decepcionado com um volume final de uma trilogia. Scott perdeu total o rumo de sua história e ainda mais de seus personagens. Eu gostei de poder ler esses livros, porque eu queria muito lê-los, e Feios e Perfeitos valeram por tudo. Agora me resta Extras, que é um spin-off da trilogia e que por ser um livro único eu coloco muita fé de ser tão bom quanto Feios. 

Scott não me fez odiá-lo, eu ainda quero ler mais coisas dele, mas por hora essa é uma opinião sobre Especiais. Um final decepcionante, para uma trilogia tão incrível!

Um comentário:

Leila disse...

Eu tinha vontade de ler essa série, mas agora fiquei meio assim... É muito ruim quando nos decepcionamos no final...

Adorei o blog!
Estou seguindo.

Ficarei feliz com uma visita sua ao meu blog!
www.meuslivrosesonhos.blogspot.com.br
Um abraço!

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team