14/06/2013

[Resenha] Divergente - Veronica Roth





Divergente
Veronica Roth
Editora Rocco
504 páginas

Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto.
A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é.

E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.

Divergente é mais um livro distópico que chegou para agradar - pessoas como eu - fãs desse gênero. A expectativa para o mesmo era grande, e acreditem, não decepcionou. A distopia de Veronica Roth tem um diferencial que faz deste um livro de grande sucesso lado a lado com Jogos Vorazes. (Só no sucesso, pois a temática é totalmente diferente).

Beatrice, ou Tris, a nossa protagonista é uma Divergente e por isso ela é uma personagem corajosa, esperta, ágil e digamos assim: audaciosa. Características que fazem com que ela conquiste o leitor já nos primeiros capítulos. Four é um cara legal e um tanto quanto misterioso, ele é quase um enigma e aos poucos vamos descobrindo um pouco mais sobre ele. Os personagens secundários são muito bem construídos, cada um com sua própria característica e ideia. Alguns fazem o leitor sorrir, dar risada, ter pena e outros causam uma grande onda de ódio no leitor, por suas atitudes imaturas e maldosas.

O livro inicia contando um pouco sobre a vida de Tris na Abnegação e toda a sua visão sobre as facções. Logo depois que ela escolhe a facção a qual quer pertencer, acompanhamos a garota em sua iniciação, passando por fase e mais fase de provas e treinamentos. E por fim temos um evento que faz o livro ter uma grande onda de ação e nos provar que Veronica Roth veio para mostrar que é uma autora sensacional.

Falando na autora, podemos dizer que sua escrita é leve e fácil de ler e juntando com sua carga de ação e informações, a leitura do livro pode ser feita em poucos dias (mesmo sendo 500 páginas). Roth é uma autora que não tem dó de alguns personagens, ela mata mesmo. E eu gosto disso, gosto que os autores façam coisas para surpreenderem os leitores ao invés de ficar com piedade e amorzinho um pelo outro.

Mais um ponto positivo para o livro, é que temos vários aspectos da amizade e poucos para o romance. E quando temos cenas românticas, não é nada meloso. Outra coisa ótima é a ausência de triângulos amorosos, que faz com que o livro não fique de mimimi e foque muito mais nas revelações, surpresas e ação.

Assim como muitas distopias esta também faz uma crítica a sociedade: A qualidade que a facção da Audácia mais valoriza é a coragem, mas qual é o verdadeiro significado de ser corajoso? Enfrentar e desafiar a todos, impondo a sua autoridade? Essa discussão se desenrola por entre as páginas da história, e logo nos é mostrado os vários lado da coragem.

O tempo todos vemos Tris questionando, e suas dúvidas são nossas dúvidas. O que é ser Divergente? Por que isso é perigoso? E várias outras dúvidas que não posso contar porque seria spoiler. Mas posso dizer que Veronica responde muita coisa neste livro e nos surpreende demais, e outras coisas ela deixa para o próximo livro.

É realmente difícil falar mais sobre o livro a não ser lotá-lo de elogios. Para quem gosta de distopias, Divergente é uma boa escolha, quer dizer, boa não... ótima! Não dá para dizer o quanto esse livro é maravilhoso, só lendo para entender. Tudo aquilo que esperamos em um bom enredo está presente neste. E a leitura acaba sendo rápida e maravilhosa. Não tenho o que dizer a não ser: Sou fã dessa trilogia e eu recomendo com todo o prazer do mundo.

Lembrando que a adaptação para o cinema está sendo filmada e tem lançamento marcado para o dia 14 de Março de 2014!

Quotes:

“A razão humana é capaz de justificar qualquer mal; é por isso que não devemos depender dela.” – pág 111

“Alguém se ajoelha ao lado do rosto dele e fecha seus olhos. Deve ser para fazer parecer que ele está dormindo. Que idiotice. Por que as pessoas cismam em fingir que a morte é um tipo de sono? Não é. Não é.” – pág 317

“Os seres humanos, de uma maneira geral, não conseguem ser bons por muito tempo antes que o mal penetre novamente entre nós e nos envenene.” – pág 454

2 comentários:

Lucas Carvalho disse...

Este livro está sendo bastante repercutido pelos blogs literários e sites de vendas. Estou louco para ler, principalmente por motivos de: DISTOPIA. Acredito que será sim um novo sucesso, tal qual como Hunger Games. Espero ler em breve. Excelente resenha!!

Camilla Lobianco disse...

Adoro a série, embora não seja a melhor. Apesar de nunca gostar dos filmes, estou muito ansiosa por este também, já que parece que será bem fiel ao livro. O legal do livro, é que ele nunca fica chato, e sua ação também choca bastante. Uma distopia muito digna, com certeza! :)

http://ssentrelivros.blogspot.com.br

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team