27/06/2013

Série #16 - Under The Dome















JOE:
- As estrelas estão caindo. As estrelas estão caindo em linhas...
Normalmente eu espero assistir vários episódios de uma série para fazer a sua resenha, mas Under The Dome teve um "Pilot" tão bom que eu não posso deixar de comentar.

Meu interesse tanto pelo livro como pela série começou quando vi a resenha do Gabriel do Cabine Literária sobre o livro. Confira. E a sua resenha foi tão completa e empolgante, e a premissa da história é tão boa que logo quis lê-lo e consequentemente assistir a sua adaptação para TV. Como o preço pelas valiosas mais de 900 páginas estava alto, infelizmente não pude lê-lo antes de começar a série, mas pude pelo menos assisti-la. E se você ainda não a assistiu não sabe o que está perdendo.

Under The Dome apresenta a história de uma cidadezinha chamada Chester's Mill, um lugar calmo e com uma população pequena que um dia é surpreendida por um acontecimento inesperado: um campo de força invisível surge ao redor da cidade impedindo que as pessoas entrem ou saiam e que ondas e sons sejam transmitidos, fazendo com que a cidade fique realmente isolada e sem comunicação.

(Spoiler sobre alguns personagens no episódio piloto) Com esse enredo bem diferente de tudo que acontece nas séries atualmente, somos apresentados a diversos personagens que já no episódio piloto apresentam segredos sombrios. Junior é um garoto mimado e que não aceita um não como resposta, e depois de ser rejeitado por sua namoradinha Angie a prende em um porão. Ele parece ter problemas mentais e de obsessão.

Joe o irmão de Angie se vê sozinho com sua irmã após descobrir que sua mãe está do lado de fora da redoma e ele parece ter adquirido algum problema quando tocou a redoma.  

Julia é uma jornalista que não tem seu talento reconhecido e se mostra muito apaixonada por seu marido Peter, mas ela não sabe que nunca mais o verá, pois seu "novo amigo", Barbie, o matou. 

Big Jim, o pai de Junior parece ser um cara um tanto quanto controlador e o xerife Duke tem um segredo sombrio e pouco antes de conseguir revelá-lo ele morre ao tocar na redoma e ter seu marcapasso  explodido. Isso deixa Linda, sua amiga de trabalho totalmente desesperada. Outra personagem misteriosa é Norrie que parece ter a mesma convulsão de Joe. (Fim do spoiler).

São tantos personagens e todos eles parecem ter algum segredo ou estar envolvido em alguma situação estranha. E as perguntas já são lançadas logo no primeiro episódio: O que é a redoma? E por quê ela caiu sobre Chester's Mill? Por que Barbie matou Peter? Qual era o segredo de Duke? Por que Joe e Norrie ficavam falando sobre estrelas caindo? 
São muitos mistérios e a agonia pela espera do próximo episódio é grande, pois a série conquista demais seu telespectador e parece dar pauta para muitas discussões e muitas teorias. 

A série baseada no livro de Stephen King parece ter tudo aquilo que o autor tem como marca registrada. Muito suspense, segredos e quem sabe uma pitada de terror? Só que desta vez não estamos falando sobre seres sobrenaturais, mas sim a luta pela sobrevivência e as consequências dos segredos de cada personagem.

Não posso deixar de comentar sobre a atuação dos atores. Apesar de ser suspeito para falar, Britt Robertson fez um trabalho excelente como Angie. Suas cenas de garota indefesa e desesperada foram realmente perturbadoras. E Rachele Lefevre (eterna Victoria) foi sensacional como a jornalista Julia. Outros atores não têm seus rostos conhecidos, mas provam que são ótimos no que fazem.

Li uma entrevista com o produtor da série e parece que muita coisa boa ainda está por vir e a nossa ansiedade  por respostas aumenta cada vez mais. É uma pena saber que teremos só uma temporada com 13 episódios. Mas espero realmente que o sucesso seja tão grande que leve os realizadores a fazer mais e mais temporadas.

Acho que já deixei bem claro que essa série é PERFEITA e que eu já a considero como favorita, agora basta vocês assistirem e se viciarem como eu. Stephen King obrigado por fazer um livro (de mais de 900 páginas) sensacional. E olha que eu ainda nem li hein!

Assistam ao trailer da série:

26/06/2013

Na Minha Caixa de Correio #18






Atenção! Este vídeo foi gravado há algumas semanas atrás, portanto se houver alguma falha em relação
à datas é por este motivo.



Recebi:

- As Aventuras de Pi, Yann Martel.
- The Walking Dead: A Ascensão do Governador, Robert Kirkman e Jay Bonansinga
- Resenha
- The Walking Dead: O Caminho para Woodbury, Robert Kirkman e Jay Bonansinga - Resenha
- O Lado Bom da Vida, Matthew Quick

Comprei:
 
- HQ A Guerra dos Tronos - Volume 1, George R. R. Martin

Blogs citados:
 
Rabiscando 

24/06/2013

[Resenha] Insurgente - Veronica Roth





Insurgente
Veronica Roth
Editora Rocco
510 páginas

Na Chicago futurista criada por Veronica Roth em Divergente, as facções estão desmoronando. E Beatrice Prior tem que arcar com as consequências de suas escolhas. Em Insurgente, a jovem Tris tenta salvar aqueles que ama – e a própria vida – enquanto lida com questões como mágoa e perdão, identidade e lealdade, política e amor.

Se Divergente já foi um livro sensacional, Insurgente está ai para mostrar que Veronica Roth é espetacular e a trilogia tem tudo para ter um sucesso estrondoso. A autora mostra mais de sua potência na sequência do primeiro livro e faz com que o leitor fique ávido por informações e sem fôlego com tanta ação e revelações surpreendentes.

Depois dos acontecimentos do volume anterior, neste nos deparamos com a busca de Tris, Four, Caleb e Marcus por segurança e respostas para diversas perguntas. Acompanharemos os quatro em uma jornada incrível, onde teremos a chance de conhecer um pouco sobre a facção Amizade. Cultura, costumes, regras e o dia-a-dia desse povo nos é apresentado e pode gerar muita controvérsia sobre sua real relação com as outras facções.

Desta vez, temos uma Tris mais determinada e corajosa, porém em algumas partes somos obrigados a lidar com uma personagem arrependida e cheia de ressentimentos. Chega a ser um pouco irritante a cada página ela ficar lembrando de coisas do passado e ficar toda cheia de drama. Four continua sendo protetor e determinado ao lado de sua amada. Os outros personagens também têm suas características mais trabalhadas pela autora e até irão surpreender o leitor.

Veronica continua deixando nas entrelinhas suas críticas a sociedade. Desta vez ela nos mostra como nossas atitudes e pensamentos podem mudar o mundo e explica por quê os Divergentes são um perigo para a sociedade. Ter pensamentos próprios pode ser um perigo!

A autora sabe como responder as perguntas dos leitores e neste livro podemos conhecer um pouco mais sobre a vida dos sem-facções, como uma facção vê a outra, a relação entre seus líderes e podemos conhecer um pouco mais sobre a família de Tobias. Tudo isto incluído em um contexto de deixar qualquer um boquiaberto.

Além de dar muitos esclarecimentos, a dose de ação é alta. Afinal, as facções estão em guerra! E isso te prende do começo ao fim e não dá para parar de ler (Li as mais de 500 páginas em 4 dias). Muitas revelações surpreendentes são feitas e, acreditem, não estávamos esperando por elas. Há diversas "cenas" totalmente incríveis e acontecimentos que poderão te deixar perguntando: "Mas... espera... e agora? Como a autora dará continuidade a isto?" Porém, acredite... Veronica Roth sabe o que faz e logo no final do livro temos um acontecimento que vai deixar qualquer um louco por Allegiant (lançamento em Outubro nos EUA).

Insurgente evolui ainda mais a qualidade que já encontramos em Divergente e nos mostra por quê amamos tanto esta trilogia. Se você é apaixonado por distopias como eu, leia esta trilogia e entenda porque ela tem arrebatado milhares de fãs. Leitura altamente recomendada!

18/06/2013

Série #15 - Comentários sobre Revolution




Cuidado! Este post pode conter spoilers!

1ª Temporada
Episódio 14
"The Night The Light Went Out Georgia" 

Depois que a série parou de acompanhar a busca por Danny (luto!) e passou a focar em uma luta muito maior com a Milícia, o enredo tem melhorado, mas muitas vezes piorado.
Alguns episódios são realmente bons, mas outros, estão na temporada apenas para preencher um espaço vago e é o que acontece neste episódio.

Depois de Rachel revelar a Aaron sobre "A Torre" ela decide partir com ele em uma missão, deixando Charlie, Miles e Nora para trás. Mas antes, Rachel precisa encontrar uma velha amiga que poderá lhe dar mais informações sobre como chegar A Torre e o que fazer para trazer de volta a energia.

Enquanto isso, Miles, Charlie e Nora saem da República Monroe e vão para Chicago, onde precisam encontrar uma bomba que ameaça o povoado. Em meio à isso, Miles se encontrará com um velho amigo, que pode não ser mais um amigo.

No final, Kelly, a presidente de Georgia pede para que Miles lidere um grupo de rebeldes contra a Milícia, e é claro que seu sentimento de ódio por Monroe o fará aceitar.

Um episódio mediano, com algumas revelações interessantes, mas nada de tirar o fôlego.

1ª Temporada
Episódio 15
"Home"

Um dos melhores episódios da temporada é este. Quer dizer, um dos melhores depois que o foco da série mudou.
Neste episódio, Monroe se mostra bastante irritado com as atitudes de Miles e bola um plano que pode fazer com que ele se renda. O comandante da Milícia volta para a sua cidade natal e ameaça a antiga namorada de Miles, Emma.

O legal deste episódio é conhecer um pouco sobre o passado de Monroe e ver que sua amizade com Miles era repleta de inveja e maldade.

O vilão se mostra muito maldoso e macabro em "Home" e sua atitude de trancar a população em um colégio e atear fogo, foi simplesmente assombrosa. Por sorte Miles e seus aliados chegam à tempo para salvar a população. Porém, Emma é capturada por Monroe que a ameaça na frente de Miles. Em meio a isso, descobrimos que ela tem um filho com Monroe, mas antes que ela possa revelar, Dixon lhe dá um tiro ao invés de acertar o vilão. Agora, a pergunta que não quer se calar: Quem é o filho de Monroe?

Enquanto isso, Aaron encontra sua esposa e percebe que sua relação com ela não é mais a mesma.

E para um final incrível, nada menos do que saber que Tom Neville está de volta, mas desta vez como ajudante de Miles. 

Um episódio excepcional!

17/06/2013

Lançamentos - Junho/2013





Confiram as novidades que nos aguardam para Junho de 2013!
 
clique nas imagens para mais informações

Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos

14/06/2013

[Resenha] Divergente - Veronica Roth





Divergente
Veronica Roth
Editora Rocco
504 páginas

Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto.
A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é.

E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.

Divergente é mais um livro distópico que chegou para agradar - pessoas como eu - fãs desse gênero. A expectativa para o mesmo era grande, e acreditem, não decepcionou. A distopia de Veronica Roth tem um diferencial que faz deste um livro de grande sucesso lado a lado com Jogos Vorazes. (Só no sucesso, pois a temática é totalmente diferente).

Beatrice, ou Tris, a nossa protagonista é uma Divergente e por isso ela é uma personagem corajosa, esperta, ágil e digamos assim: audaciosa. Características que fazem com que ela conquiste o leitor já nos primeiros capítulos. Four é um cara legal e um tanto quanto misterioso, ele é quase um enigma e aos poucos vamos descobrindo um pouco mais sobre ele. Os personagens secundários são muito bem construídos, cada um com sua própria característica e ideia. Alguns fazem o leitor sorrir, dar risada, ter pena e outros causam uma grande onda de ódio no leitor, por suas atitudes imaturas e maldosas.

O livro inicia contando um pouco sobre a vida de Tris na Abnegação e toda a sua visão sobre as facções. Logo depois que ela escolhe a facção a qual quer pertencer, acompanhamos a garota em sua iniciação, passando por fase e mais fase de provas e treinamentos. E por fim temos um evento que faz o livro ter uma grande onda de ação e nos provar que Veronica Roth veio para mostrar que é uma autora sensacional.

Falando na autora, podemos dizer que sua escrita é leve e fácil de ler e juntando com sua carga de ação e informações, a leitura do livro pode ser feita em poucos dias (mesmo sendo 500 páginas). Roth é uma autora que não tem dó de alguns personagens, ela mata mesmo. E eu gosto disso, gosto que os autores façam coisas para surpreenderem os leitores ao invés de ficar com piedade e amorzinho um pelo outro.

Mais um ponto positivo para o livro, é que temos vários aspectos da amizade e poucos para o romance. E quando temos cenas românticas, não é nada meloso. Outra coisa ótima é a ausência de triângulos amorosos, que faz com que o livro não fique de mimimi e foque muito mais nas revelações, surpresas e ação.

Assim como muitas distopias esta também faz uma crítica a sociedade: A qualidade que a facção da Audácia mais valoriza é a coragem, mas qual é o verdadeiro significado de ser corajoso? Enfrentar e desafiar a todos, impondo a sua autoridade? Essa discussão se desenrola por entre as páginas da história, e logo nos é mostrado os vários lado da coragem.

O tempo todos vemos Tris questionando, e suas dúvidas são nossas dúvidas. O que é ser Divergente? Por que isso é perigoso? E várias outras dúvidas que não posso contar porque seria spoiler. Mas posso dizer que Veronica responde muita coisa neste livro e nos surpreende demais, e outras coisas ela deixa para o próximo livro.

É realmente difícil falar mais sobre o livro a não ser lotá-lo de elogios. Para quem gosta de distopias, Divergente é uma boa escolha, quer dizer, boa não... ótima! Não dá para dizer o quanto esse livro é maravilhoso, só lendo para entender. Tudo aquilo que esperamos em um bom enredo está presente neste. E a leitura acaba sendo rápida e maravilhosa. Não tenho o que dizer a não ser: Sou fã dessa trilogia e eu recomendo com todo o prazer do mundo.

Lembrando que a adaptação para o cinema está sendo filmada e tem lançamento marcado para o dia 14 de Março de 2014!

Quotes:

“A razão humana é capaz de justificar qualquer mal; é por isso que não devemos depender dela.” – pág 111

“Alguém se ajoelha ao lado do rosto dele e fecha seus olhos. Deve ser para fazer parecer que ele está dormindo. Que idiotice. Por que as pessoas cismam em fingir que a morte é um tipo de sono? Não é. Não é.” – pág 317

“Os seres humanos, de uma maneira geral, não conseguem ser bons por muito tempo antes que o mal penetre novamente entre nós e nos envenene.” – pág 454
 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team