26/02/2013

Filme #25 - A Super Agente

















A Super Agente
Duração: 94 minutos
Gênero: Comédia, Ação
Com: Miley Cyrus, Jeremy Piven, Megan Park
Direção: Tom Vaughan
Ano: 2013

Molly Morris (Miley Cyrus) é uma detetive adolescente especializada em descobrir casos de infidelidade. Ela trabalha junto com seu pai, um policial afastado. Um dia, ela é procurada pelo agente do FBI Armon (Jeremy Pivens) para que se infiltre numa irmandade em uma faculdade norte americana e proteja Alex (Lauren Mcnight), a filha de um mafioso.

Chegando na faculdade, ela assume a identidade de Brooke Stonebridge, uma estudante recém-saída do Havaí. Ela vai morar na irmandade Kappa Kappa Zeta, e se torna colega de quarto de Becky (Kelly Osbourne). Lá, ela conhece a malvada Sasha (Eloise Mumford) e a burra Cotton (Megan Park), além de se envolver com Nicholas (Josh Bowman).

Uma série de intrigas ocorrem na irmandade, onde as meninas parecem mais interessadas em conseguir um marido rico do que em estudar. Enquanto frequenta as aulas, Molly/Brooke fica em olho em Alex, que tem atitudes esquisitas e parece sempre estar fugindo de alguém.

Mais uma resenha de um filme da Miley, que por sinal sou suspeito para falar. A Super Agente foi filmado já há algum tempo, mas demorou para ser lançado. E quando este finalmente foi, a divulgação foi péssima, fazendo o filme não ter nenhum reconhecimento e ser lançado diretamente em DVD. Porém, o que importa é que a produção ficou ótima e Miley está maravilhosa.

A história não é nem um pouco inédita. Agente que passa por uma crise, tem alguns atos rebeldes, é chamada para resolver um caso envolvendo alguma pessoa de uma universidade e logo se envolve com o pessoal fazendo amizades e se apaixonando. Diversos filmes tiveram este tema, inclusive um famoso é: O Agente Teen. Mas o que difere este de outros é a conclusão e as surpresas que nos esperam. Sim, algo totalmente inesperado pegará o telespectador de surpresa e o fará encontrar um destaque neste enredo que não há em outros.

É claro que é impossível dizer que A Super Agente é uma grande produção digna de um Oscar, na realidade, este filme parece ser feito para ser assistido com a família em um domingo à tarde e devemos encará-lo apenas como passatempo, e não como uma grande obra. E acredite, é possível se divertir muito e se apaixonar pelo filme.

Miley como sempre esteve maravilhosa (principalmente porque no filme ela tem cabelos). Sua atuação é extraordinária e ela prova que sabe como fazer o público rir e ficar tenso. Seu humor ácido e suas cenas de ação são incríveis e para fãs como eu, este longa foi um prato cheio para se apaixonar ainda mais pela garota.

A trilha-sonora, devo admitir, é fraca. Nada muito surpreendente ou de arrepiar. O único ponto positivo é o intrumental tema, que foi bem desenvolvido e se encaixa perfeitamente em um filme de agentes secretos.

É claro que não dá para criticar o filme e devemos dar um desconto, pois este não foi muito divulgado e nem teve grande reconhecimento. Excluindo tudo e focando na diversão e entretenimento que o longa traz, é possível ter bons momentos assistindo e quando este acaba dá uma vontade de voltar ao início e novamente dar boas risadas e babar em Miley Cyrus. Ação, aventura, mistérios, reviravoltas e comédia é tudo que se pode encontrar nesta trama maravilhosa. Assistam!

25/02/2013

[Resenha] Ecos da Morte - Kimberly Derting





Ecos da Morte (The Body Finder #1)
Kimberly Derting
Editora Intrínseca
272 páginas

Violet Ambrose tem dois problemas: o dom mórbido e secreto que carrega desde a infância e Jay Heaton, seu melhor amigo, por quem está apaixonada. Aos dezesseis anos e confusa com os novos sentimentos em relação a Jay, ela começa a ficar cada vez mais incomodada com sua estranha habilidade: Violet encontra cadáveres. Desde muito pequena ela percebe os ecos que os mortos deixam neste mundo. Ruídos, cores, cheiros. Mas não todos, apenas os das vítimas de assassinato.
 
Para ela, isso nunca foi um grande talento. Na maioria das vezes, tudo o que encontrava eram pássaros mortos, deixados para trás pelo gato da família. Mas, agora que um serial killer está aterrorizando a pequena cidade onde mora e os ecos das garotas assassinadas a perseguem dia e noite, Violet se dá conta de que talvez seja a única pessoa capaz de detê-lo. Em pouco tempo ela estará no rastro do assassino. E ele, no dela.  

Ecos da Morte é sim um livro bom, mas não cumpre o que sua sinopse diz. Ao comprar o livro eu imaginava que me depararia com muito suspense e mistérios. É claro, isto está incluso na trama. Mas senti que a autora focou muito mais em uma Violet insegura e no romance dela com Jay, ao invéz de criar uma história de tirar o fôlego do início ao fim.

Sem contar, na constante comparação que vinha na minha mente entre Violet e Bella Swan. Violet é insegura, desastrada, teimosa e dramática como Bella. Detalhes que incomodam um pouco a leitura, ainda mais quando temos que lidar com muitas páginas acompanhando a vida monótoma da protagonista no colégio. Já Jay, é um garoto comum e que salva bastante a leitura por ter atitudes normais para um garoto de sua idade.

As melhores partes sem dúvida ficaram com a narração do assassino. Não sei se sou muito macabro, mas foram para mim as melhores partes, principalmente quando podiámos entender sua mente maldosa e seus planos para sequestrar garotas.
Outros momentos que me fizeram ficar com o coração acelerado e lendo sem exitar foram os momentos em que Violet encontra os corpos das vítimas e começa a desenrolar o mistério por trás do assassino. Essas partes faziam de Violet mais legal e menos melosa.

A autora acertou no ponto quando fez um final surpreendente e que deixa qualquer leitor com medo de descobrir como a história realmente termina, mas logo dá um final digno. E quando descobrimos quem é o assassino também é incrível, principalmente quando é alguém que nunca imaginaríamos. Ponto para Kimberly, que acordou no final do livro e o fez incrível!

Ecos da Morte é basicamente assim, nos faz gostar e odiar, já que é uma eterna montanha-russa oscilando entre partes chatas e melosas e partes com muito suspense e mistério. Com o final que a autora deu boto fé nos próximos volumes. Acho que fico com a parte em que gostei do livro e recomendo para vocês!

17/02/2013

Leituras do Mês - Janeiro/2013





Ignorem minha voz não muito boa, estava resfriado.



Livros lidos e suas resenhas:

-
A Ascensão dos Nove, Pittacus Lore - Resenha
- Caminhos de Sangue, Moira Young - Resenha
- Jogador N° 1, Ernest Cline - Resenha
- Diários do Vampiro: O Despertar, L. J. Smith - Resenha
- Diários do Vampiro: O Confronto, L. J. Smith - Resenha
- Diários do Vampiro: A Fúria, L. J. Smith - Resenha

16/02/2013

[Resenha] Feios - Scott Westerfeld





Feios
Scott Westerfeld
Editora Galera Record
416 páginas

Tally Youngblood é feia. Não, isso não significa que ela seja alguma aberração da natureza. Não. Ela simplesmente ainda não completou 16 anos. Em Vila Feia, os adolescentes ficam presos em alojamentos até o aniversário de 16 anos, quando recebem um grande presente do governo: uma operação plástica como nunca vista antes na história da humanidade. Suas feições são corrigidas à perfeição; a pele é trocada por outra, sem imperfeições ou - nem pense nisso - espinhas; seus ossos são substítuidos por uma liga artificial, mais leve e resistente; os olhos se tornam grandes; e os lábios, cheios de volumosos. Em suma, aos 16 anos todos ficam perfeitos.

Tally mal pode esperar pelo seu aniversário. Depois da operação, vai finalmente deixar Vila Feia e se mudar para Nova Perfeição, onde os perfeitos vivem, bebem, pulam de paraquedas, voam a bordo de suas pranchas magnéticas e se divertem (o tempo todo). Mas, enquanto espera que as poucas semanas até completar 16 anos passem, Tally precisa se distrair.

Uma noite, ela conhece Shay, uma feia que não está nem um pouco ansiosa para completar 16 anos. Pelo contrário: Shay pretende fugir dos limites da cidade e se juntar à Fumaça, um grupo de fora da lei que sobrevive retirando seu sustento da natureza.

Para Tally, isso é uma maluquice. Quem iria querer ficar feio para sempre ou se arriscaria a voltar para a natureza e queimas árvores para se aquecer, em vez de viver com conforto em Nova Perfeição e se divertir à beça? Mas quando sua amiga desaparece, os Especiais, autoridade máxima desse novo mundo, propõem um acordo a Tally: se unir a eles contra os enfumaçados ou ficar feia para sempre. A escolha de Tally irá mudar o mundo ao seu redor, mas, principalmente, ela mesma.

Com todo o meu vício (obsessivo) por distopias e a minha antiga vontade de ler este livro, finalmente o li. Feios não é nada além de incrível, sensacional, perfeito e original. Algo que nenhum outro autor já havia pensado ou criado. Mais uma obra que prova a grandiosidade do mestre Westerfeld, que depois deste, se tornou meu autor favorito.

O livro é dividido em três partes. Na primeira parte somos introduzidos ao mundo dos feios e podemos acompanhar o dia-a-dia de Tally. Vivendo suas aventuras, superando seus medos e sonhando com a perfeição. É nesta parte que conhecemos Shay, a nova amiga da protagonista e também a responsável por todos os acontecimentos futuros. Na segunda parte acompanhamos o sofrimento e as indecisões de Tally sobre se juntar ou não aos Especiais. Também acompanhamos sua jornada até a Fumaça e logo depois somos apresentados ao cotidiano dos enfumaçados, podendo conhecer da cultura dos mesmos. Na terceira parte, onde a ação começa, uma reviravolta surpreendente que vai deixar os leitores com o coração na mão torcendo para que tudo se ajeite e dê certo no final.

Tally é uma personagem que evolui durante a história. Ela inicia sendo uma alienada do governo, sempre acreditando aquilo que eles falam, sendo ingênua e principalmente boba. Mas conforme a história vai se desenvolvendo, ela começa a ganhar mais atitude, mais sentimentos e principalmente: capacidade de discernir o que é verdade e o que é mentira. Temos também Shay, que é a minha favorita. Ela é uma garota determinada e com muita atitude, não mede esforços para dizer aquilo que pensa e é muito mais pé no chão (as vezes) que a protagonista.

O que podemos ver de diferença entre Scott e os outros autores? Ele coloca uma crítica forte a nossa sociedade. É claro, todas as distopias falam sobre isso, mesmo que nas entrelinhas. Mas Scott sabe como trabalhar isso de uma forma interessante, é impossível não notar o que ele nos quer passar durante a leitura. Na série Feios, ele fala sobre a alienação que temos hoje em dia de tentarmos atingir a perfeição. Ele utiliza dessa história para dizer: aceite quem você é, pois ser você mesmo é muito melhor do que ser perfeito.

Também é interessante ver como o autor tem uma capacidade grande de colocar sentimentos a uma protagonista feminina, pois isto seria muito fácil para uma mulher do que para um homem. Mas acho que um homem escrevendo sobre uma protagonista feminina caiu bem, pois ele não precisou ficar a fazendo ser enjoada ou até mesmo caídinha pelo mocinho. Tally é uma garota legal, daquelas que você gostaria de estar por perto.

Com uma narrativa leve, rápida de ler (do tipo: 150 páginas por dia, sem sentir), muito suspense, revelações surpreendentes, ação, um final de tirar o fôlego deixando qualquer um ansioso pela continuação e uma escrita magnífica por Scott, Feios é um livro incrível que vocês precisam ler. Está mais do que recomendado.

15/02/2013

Perfil de Autor #6 - Scott Westerfeld

Scott Westerfeld (nascido em 5 de Maio de 1963) é um autor americano de ficção científica voltada ao público Jovem Adulto (Young Adult). Ele nasceu no Texas, mas atualmente divide seu tempo entre Sydney na Austrália e Nova Iorque nos Estados Unidos.

Quando criança, Scott Westerfeld se mudou para Califórnia e Connecticut por motivos relacionados ao trabalho do pai. Lloyd, seu pai, era um programador de computador. Scott observava o pai trabalhando com aviões, submarinos e o Projeto Apollo.

Scott se formou em 1985 na Vassar College e foi compositor no início de sua carreira. Nos anos 80 mudou-se para Nova Iorque, onde inspirou seu livro Polymorph e em 2001 casou-se com Justine Larbalestier, que também é autora literária. Scott e Justine costumam ler capítulos de seus livros em voz alta para um poder dar opinião ao outro.

Scott só iniciou a sua carreira de autor após perder seu emprego. Então, dedicou um ano de descanso e trabalho em seu primeiro livro. 

Stephenie Meyer disse uma vez em uma entrevista: "Eu acredito mesmo que não existam histórias novas – exceto, talvez, Scott Westerfeld. Ele é a única pessoa que sempre me faz pensar: ‘Ninguém fez exatamente isso antes". Quem já leu os livros do autor sabe que ela está certa, é impossível ler um livro de Scott e comparar com outros, ele é sempre muito original.

Scott Westerfeld é mundialmente conhecido graças a série Feios, que teve seus direitos autorais comprados em 2006 pela Twentieth Century Fox para a produção de uma série de filmes. A série também ganhou uma versão em mangá onde a história é focada em Shay, amiga da Tally. O mangá recebeu o nome de Shay's Story, ainda sem data de lançamento no Brasil, mas já disponível a venda nos Estados Unidos.

Outro livro que também seria adaptado para o cinema era Tão Ontem, os direitos autorais foram comprados pelos produtores de Fahrenheit 11 de setembro e Tiros em Columbine, mas no fim a adaptação foi "morrendo lentamente", como Scott escreveu em seu blog.

A publicação mais recente no Brasil é o livro Leviatã: A Missão Secreta, primeiro livro de uma nova série, que contará com três livros, um Manual e um Guia Ilustrado. Scott escreveu em seu blog que está escrevendo um novo livro, mas nada mais foi revelado para o público.

A maioria de seus livros foram lançados aqui no Brasil pela editora Galera Record. Mas a editora ID possui os direitos da série Midnighters.

Alguns de seus livros mais famosos:

Livro Livro Livro
 
Fontes: Garota ItGalera RecordWikipédia

11/02/2013

[Resenha] Escola: Os Piores Anos da Minha Vida - James Patterson e Chris Tebbetts





Escola: Os Piores Anos da Minha Vida
James Patterson e Chris Tebbetts
Editora Arqueiro
288 páginas

Rafa Khatchadorian chega ao sexto ano na Escola Municipal de Hills Village e não tem ideia de como sobreviverá o ano todo, mas logo no primeiro dia, com a ajuda de seu amigo Leo ele cria um plano que pode fazer seu ano ser mais divertido.

Rafa decide criar a Operação R.A.F.A. (Regras Atrapalham a Felicidade A lheia), que consiste em quebrar todas as regras do Código de Conduta do Aluno.
 
É obvio que as consequências por usar trajes não permitidos, ligar alarmes de incêndio, vender energéticos, brigar e responder professores seriam prejudiciais a ele, mas ele é corajoso e pretende levar a sério toda está história.
 
Sem contar os problemas que ele já tem em casa, os que ainda irão surgir, Jeanne Galletta (sua paixão impossível) e o terrível Miller Matador (o valentão que sempre pega no pé do protagonista).
 
Rafa está realmente em uma situação complicada. E a ideia de levar a sério seu plano de quebrar todas as regras é tão tentadora e perigosa, ao mesmo tempo em que pode faze-lo magoar todas as pessoas que se importam com ele...

Antes de tudo eu não poderia deixar de comentar o quanto esta capa é maravilhosa. É bem chamativa e bem "explosiva" com objetos espalhados por todo o lado. Não só a capa, mas todo o trabalho do livro é magnífico, com muitos desenhos e ilustrações que deixam a história muito interessante.
 
James Patterson é autor de vários romances policiais, entre eles Lua de Mel e Private. Logo de cara a surpresa é grande ao ver seu nome em um livro infantil. Mas já vou avisando, de infantil, esta história não tem nada.
 
Por mais que a trama se passe no sexto ano e o personagem principal seja uma criança, as situações que ele enfrenta são bem radicais e parecidas com as de um adolescente. Eu me diverti com a leitura, mas acho que não seja recomendável para uma criança, afinal, ela pode querer seguir os exemplos do protagonista e dar muita dor de cabeça para seus pais.

E é por isso que um livro que de inicío parece infantil se torna muito prazeroso para jovens e adultos, nada é infantil, as situações são bem engraçadas e muito bem amarradas. Inclusive, Patterson que está acostumado a trabalhar com mistérios, também apresenta algumas revelações surpreendentes durante a leitura, revelações tão boas quanto as de seus livros policiais. Por isso digo mais uma vez: não é nada infantil.
 
Rafa é um personagem engraçado e criativo, é impossível não gostar dele. Leo pode parecer uma má influência no início, mas durante a leitura vamos conhecendo um pouco mais dele. Temos também Jeanne que é a paixão secreta de Rafa, a garota é bem pé no chão e sempre gosta de tudo certo. Miller é o típico valentão que atrapalha a vida do nosso protagonista, típico de histórias que envolvem escola. Temos a irmã de Rafa que é uma típica dedo-duro. Urso que é o padastro do protagonista, ele sabe como ser irritante. E temos a mãe de Rafa que é responsável pelos momentos mais sérios do livro.
 
As ilustrações tornam a leitura muito divertida e rápida, pois elas são normalmente os pensamentos e a imaginação de Rafa, e com elas podemos visualizar o que se passa na cabeça do garoto. Li o livro em um dia. As coisas vão acontecendo e tudo é tão interessante que você se verá virando as páginas loucamente e quando se der conta terá terminado o livro.  
 
Patterson realmente sabe escrever para crianças, pois em seu livro ele aborda temas como bullying, amor, amizade, família e principalmente: nem sempre tudo é como queremos. É claro, o final do livro é bem legal e tudo se mostra bem, mas algumas coisas acabam não acontecendo como o protagonista gostaria.  
 
Escola: Os Piores Anos da Minha Vida é divertido, engraçado, rápido de ler e está recomendado para todos, independente da idade!

http://4.bp.blogspot.com/-iagdGYfG6ec/T4xySb0cuGI/AAAAAAAAAMw/03YVkHWWSuI/s150/GetAttachment.aspx.jpg

10/02/2013

Ser Bookaholic #3 - Por que compramos tantos livros?





Por que compramos tantos livros?

Você já deve se ter feito esta pergunta, não? ou alguém já lhe perguntou porque você compra tanto livros? A realidade é que sendo bookaholic, a maior parte do nosso dinheiro é gasto com livros. Para alguns, é bobagem, mas nós bem sabemos que estamos gastando com algo que vale a pena. Mas chega uma hora que compramos mais livros do que podemos ler e nos perguntamos, por que isto? Veja a seguir alguns dos motivos que nos levam a ter essa obsessão por comprar de livros:

- Promoções: 

Quando olhamos para nossa estante, e vemos que temos uma grande quantidade de livros para ler, nós tentamos nos afastar ao máximo de comprar livros. Mas então, por um pequeno deslize entramos em um site de vendas online e lá está aquele livro que a tanto tempo queriamos e ele está por um preço tão baixo, que simplesmente é um pecado não comprá-lo. É aí que não pensamos em mais nada e apenas apertamos o botão: comprar.

 - Edições de colecionador:

Isso não acontece comigo, pois eu realmente não gosto de comprar livros em várias versões e os terem repetidos. Mas sabemos que muitas pessoas amam tanto uma saga ou uma trilogia, que são capazes de comprar todas as edições especiais que saírem da mesma. Essas edições têm um preço um pouco alto, mas o que não fazemos por aquilo que amamos?

 - Versões estrangeiras:

Para quem gosta de ler em inglês, esse é um grande motivo de comprar mais livros. Você leu uma saga/trilogia muito boa, e você é tão fã daquilo que simplesmente decide que quer ler a versão original, a versão em inglês, e então escolhe uma capa diferente (ou várias capas diferentes, se você tiver dinheiro) e lá está sua versão estrangeira.

 - Continuação de séries que não foram lançadas no Brasil:

Aí você termina de ler o primeiro livro de uma série. O final foi excepcional e você quer mais... mas cadê? o segundo livro ainda não foi lançado no Brasil. Por sorte, no exterior a série já está no seu quarto volume e você que não aguenta mais esperar para saber o que vai acontecer, procura e compra a versão estrangeira mesmo (e quando saí no Brasil compra a versão nacional, afinal, somos bookaholics).


 - Filme foi legal. Será que tem o livro? :

Quando você assiste um filme muito bom por acaso não procura no google se ele foi adaptado de um livro? Bom, com certeza você achou, pois a maioria dos filmes foram baseados ou pelo menos inspirados em um livro e aí está um motivo para comprarmos mais um. Afinal, filme e livro são uma combinação perfeita.

 - Fica bonito na estante:

Acredite, existem pessoas que compram livros porque acham que eles ficam bonitos na estante. É claro, um dia você irá lê-lo, mas o principal motivo de o ter comprado foi pensando no bem-estar da sua estante.

 - Livros que não sabe quando vai ler, mas compra:

Você tem uma pilha gigante de livros, mas passou em uma livraria e gostou tanto de um livro que o comprou. Talvez você não saiba quando vai lê-lo, mas ele te agradou e merece um lugar na sua estante e em breve merece ser lido.

 - Indicações:

Um dos principais motivos de compras de livros são as indicações. Seja de um amigo, professor, familiar. E principalmente de algum blogueiro(a), porque você irá ler a resenha e irá se identificar com a história e este entrará em sua lista de desejos. Indicações são boas, pois a pessoa já leu e sabe te dizer todos os detalhes do livro, o que te deixará mais animado.

E aí, se identificou com algumas destas justificativas? Por que você compra tantos livros? Conte-nos nos comentários!

09/02/2013

[Resenha] Diários do Vampiro - Reunião Sombria - L. J. Smith





Diários do Vampiro - Reunião Sombria
L. J. Smith
Editora Galera Records
256 páginas

Reunião Sombria é o quarto livro da série "Diários do Vampiro". Se você ainda não leu os volumes anteriores, talvez seja melhor não ler esta resenha, pois ela pode apresentar alguns spoilers. Confira as resenhas de: O Despertar, O Confronto e A Fúria.

Apesar de para sempre marcados pela tragédia, Bonnie, Meredith e Matt tentam retomar o rumo de suas vidas. Até que sonhos e premonições alertam Bonnie que um mal antigo e poderoso ameaça todos e é preciso buscar ajuda...

Com a morte de Elena, Stefan e Damon deixam Fell's Church e voltam a vagar pelo mundo sob a cruz de sua sina: a sede de sangue. Mas um chamado inesperado os coloca novamente no caminho de Elena - e daqueles que ela ama.

Presa entre a vida e a morte, Elena permanece ligada a Stefan, por quem se sacrificou. Mas, quando um grande perigo ameaça a cidade e seus amigos, o destino oferece a ela mais uma chance de reencontrar o amor.

Depois de um final surpreendente e desesperador em A Fúria, a dúvida que reinava era: como L. J. Smith daria continuidade na sua série sem sua personagem principal? Mas eu não me canso de dizer que essa mulher é espetacular e sabe o que faz.

Logo de início podemos perceber uma coisa: Reunião Sombria foca muito mais em Bonnie. Afinal, sem Elena, ela se torna o destaque e durante o decorrer da leitura entenderemos o por quê. Mas não só ela, como também Meredith, Matt, Caroline e Vickie são o centro da trama.

Bonnie, que era minha personagem favorita, ganha seu espaço e podemos ver o quão importante são seus poderes e acompanhamos o desenvolvimento deles. Ela também se mostra uma garota muito forte e centrada no que precisa para salvar seus amigos e família. Meredith apresenta seus segredos mais profundos e se torna uma personagem maravilhosa. Matt vê cada vez mais que suas amigas estão com grandes problemas e precisa cuidar delas, o que o faz se meter em mais perigos. Caroline agora não é mais uma vilã egoísta, ela se tornou amiga de Bonnie e Meredith e quer a união de todos. Vickie terá um papel importante na descoberta do terrível mal que assola Fell's Church. E os irmãos Salvatore se acertaram, pelo menos é o que parece.

O ponto principal desta história é a busca dos personagens pela forma de eliminar um terrível mal que assola a cidade e tem trazido um rastro de mortes por onde passa. Mas ele estaria trabalhando sozinho? A cada capítulo vamos entendendo um pouco mais deste mistério que parece ser muito mais profundo do que imaginamos. Para quem acompanha a série de TV pode até mesmo saber de antemão quem está por trás disso, mas mesmo assim a leitura é supreendente.

Mais uma vez a autora vai surpreender o leitor com suas reviravoltas e descobertas de tirar o fôlego. Além de colocar muito suspense, perguntas e ação em sua história. Ela ainda é incrível suficiente para colocar tudo nos eixos e fazer com que tudo faça sentido para que possamos respirar aliviados e saber que a série acaba bem e como realmente deveria. Sem palavras para L. J. Smith.

Reunião Sombria é um desfecho incrível para a série, com a medida certa de suspense, ação e mistérios. Mas sabemos que depois temos "Diários do Vampiro: O Retorno" que é como uma "nova temporada" com uma nova história. Por enquanto os quatro livros que compõe esta série foram os melhores que já li e L. J. Smith conquistou um lugarzinho no meu coração como autora favorita. Mal posso esperar para ler os outros livros. Dizer que está recomendado é pouco!

08/02/2013

Perfil de Autor #5 - L. J. Smith

Lisa Jane Smith, mais conhecida pela abreviação L. J. Smith, é uma escritora americana que vive na Califórnia. Seus livros de literatura jovem/adulta que combinam uma infinidade de gêneros, incluindo o horror, ficção científica, fantasia e romance.

Sua série de livros mais famosa é The Vampire Diaries, que foi recentemente transformada em uma série televisiva pela The CW Television Network.

Os livros de Lisa são caracteristicamente habitadas por pessoas de rara beleza, humanas e sobrenaturais; a maioria deles jovens, ou pelo menos parecem jovens. Geralmente, há um claro/escuro, o conflito entre o bom/mau, que giram em torno de um personagem central e ambíguo que, apesar de tentar seduzir a personagem principal à escuridão, acaba sendo o próprio renascer na luz e assim se tornar um herói. Às vezes, essa situação é invertida, havendo uma variação sobre o tema. Na série Night World, o conflito escuro/luz é institucionalizado em uma realidade-alternativa de conspiração.

Depois de um hiato de quase 10 anos de escrita, L. J. Smith, que havia parado de escrever em 1998, anunciou que uma nova trilogia The Vampire Diaries estava em obras, sendo esta chamada de The Vampire Diaries: The Return. Sua série de maior sucesso é Diários do Vampiro, mas Smith também é responsável por outras séries como: The Secret Circle e Mundo das Sombras (publicados no Brasil pela editora Galera Record)

Dona de uma capacidade incrível para escrever para jovens, L. J. Smith sabe exatamente como prender a atenção de seus leitores. Além do romance e da receita que todo livro de fantasia contém, Lisa acrescenta muito mistério, suspense e revelações surpreendentes. Ela se tornou uma das minhas autoras favoritas e Diários do Vampiro sem dúvida é a minha série de livros preferida.

Capas de seus livros mais famosos:

Livro Livro Livro

07/02/2013

Lançamentos - Fevereiro de 2013





Confiram as novidades que nos aguardam para Fevereiro de 2013!

clique nas imagens para mais informações

Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos Lançamentos 

06/02/2013

[Resenha] Diários do Vampiro - A Fúria - L. J. Smith

Diários do Vampiro - A Fúria
L. J. Smith
Editora Galera Record
238 páginas

A Fúria é o terceiro livro da série "Diários do Vampiro". Se você ainda não leu os volumes anteriores, talvez seja melhor não ler esta resenha, pois ela pode apresentar alguns spoilers. Confira as resenhas de: O Despertar e O Confronto.

Elena foi avisada: amar um vampiro é perigoso demais. Mas o destino dela, apesar de assustador, atende aos seus desejos. Ao lado de Damon, ela terá que reaprender tudo enquanto um Outro Poder misterioso e sedutor a perturba e atrai.

Damon agora tem sua escolhida ao seu lado. Sua busca por vingança terminou? Uma força sombria e terrível renasce para forçá-lo a fazer uma escolha.

Stefan sabe que precisa por um fim ao pacto de vingança com Damon - por Elena, mas também por si mesmo. Quando o passado se impõe entre os três, ameaçando destruir o que sua amada mais preza, chega a hora de se unir e esquecer as diferenças.

Se O Confronto foi bom, A Fúria tira qualquer dúvida sobre esta ser uma das melhores séries da década.

O livro se inicia exatamente onde o anterior parou, e logo temos uma surpresa, algo que não esperávamos que acontecesse, pelo menos não tão rápido. (spoiler) Elena agora é uma vampira e terá que lidar com essa nova fase. De um começo repleto de dúvidas e medo para  uma vampira repleta de coragem e determinação, e é exatamente disto que ela precisará (fim do spoiler).

Neste volume, vemos Stefan determinado a cuidar de Elena e Damon tem um maior espaço no enredo. Bonnie, Meredith e Matt não são mais personagens secundários e os três acabam se tornando importantes para o desenrolar da história.

O ponto principal desta trama é o Outro Poder que ronda Fell's Church. Poder este que está fazendo animais de estimação se voltarem contra seus donos e pondo em perigo toda a população, inclusive aqueles que Elena ama.

Quando enfim descobrimos quem está por trás deste Outro Poder, é aí que tudo parece se encaixar perfeitamente e então temos consciência que a autora sabe mesmo como articular, amarrar e construir uma história cativante. A descoberta que fazemos é de tirar o fôlego e deixar qualquer um sem palavras. Para quem acompanha a série de TV pode até mesmo saber de antemão quem está por trás disso, mas mesmo assim a leitura é supreendente.

L. J. Smith não se contenta em surpreender os leitores uma vez e tem que fazer um final que deixa qualquer um com o coração na mão. Considero ela uma das maiores e mais corajosas autoras por ter feito o que ela fez com o final da história.

A Fúria é extremamente incrível! Desta vez, além de muita ação e suspense, a autora aposta em revelações e acontecimentos surpreendentes que farão qualquer um se tornar fã da série e sair correndo para ler o próximo volume. Mais do que recomendado... e estão esperando o quê para ler estes livros?
 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team