15/12/2012

[Resenha] Quem Poderia Ser A Uma Hora Dessas? - Lemony Snicket

Quem Poderia Ser A Uma Hora Dessas?
Lemony Snicket 
Editora Seguinte (Cia das Letras)
240 páginas

Em uma cidade decadente, onde se criam polvos para a produção de tinta, onde há uma floresta de algas marinhas e onde um dia funcionou uma redação de jornal em um farol, um jovem Lemony Snicket começa o seu aprendizado em uma organização misteriosa. Ele vai atender seu primeiro cliente e tentar solucionar o seu primeiro crime, aos comandos de uma tutora que chama carro de “esportivo” e assina bilhetes secretos. Lá, ele vai cair na árvore errada, vai entrar no portão errado, destruir a biblioteca errada, e encontrar as respostas erradas para as perguntas erradas - que nunca deveriam ter passado pela cabeça dele. Ele escreveu um relato sobre tudo o que se passou, que não deveria ser publicado, em quatro volumes que não deveriam ser lidos. Este é o primeiro deles.

Só de ter lido o primeiro livro da série Desventuras em Série eu pude saber que Lemony Snicket é um autor incrível e inconfundível. Com seu senso crítico e humorístico e muitas perguntas e confusões Lemony Snicket é sem dúvida um autor original.

Em sua nova série, Lemony faz algo que ninguém nunca havia visto antes. Faz uma espécie de auto-biografia criando histórias e ficções. Ok, ele já havia feito isto com Lemony Snicket: Auto-biografia não autorizada, mas desta vez ele não assume ser esta uma biografia, mas sim um livro de ficção qualquer.

Em "Quem Poderia Ser a Uma Hora Dessas?", Snicket é um aprendiz em uma organização misteriosa, que escolhe a pior tutora de uma lista para poder agir mais livremente, sem que ela se dê conta do que ele faz. E isso mostra o quanto Snicket é esperto, ágil e determinado. Um personagem com características fortes.

Sua tutora, S. Teodora Markson – não pergunte o que significa o S, é um dos mistérios do livro – e sua farta cabeleira rebelde, tem um modo peculiar de agir: em nenhum momento ela questiona o que diz o cliente, e elabora as mais impossíveis teorias para qualquer coisa, além de ter o péssimo hábito de explicar detalhadamente o que diz cada expressão. Ela é um tanto quanto estranha, misteriosa e as vezes parece irresponsável, afinal, vemos Lemony conseguindo resolver muito mais coisas que ela.

No decorrer da narrativa vamos conhecendo novos cenários, e o autor tem talento quando se trata de cenários. Ele descreve muito bem cada detalhe de cada lugar e cuida para mostrar que a cidade fictícia que criou é composta de detalhes importantes que ele nunca esqueceria, sem contar os mistérios que dá a esta. 

Além disso Lemony tem uma grande facilidade para criar personagens que agradam bastante o leitor, como por exemplo o solícito dono do hotel onde ficam hospedados, Próspero Perdido; Qwerty, o sub-bibliotecário; os irmão Chico e Juca, que dirigem o táxi da família enquanto o pai está doente - e que cobram pela corrida um dica, e não dinheiro - o casal Mitchell, policiais da cidade, que fecham os olhos para as diabruras de seu filho Stew e Moxie que é filha do dono do jornal falido, que é apaixonada por jornalismo e por uma história bem contada, sempre com seu caderninho anotando e datilografando tudo. Todos são personagens adoráveis, mas todos parecem esconder segredos, o que faz a cidade ficar ainda mais misteriosa.

Afinal, Lemony é um grande autor que envolve muito mistério em seus livros e deixa o leitor com uma pulga atrás da orelha. É impossível dizer como a é escrita do mesmo, apenas a experiência de ler seus livros proporciona o entendimento de como sua narrativa é maravilhosa. Mas Snicket é aquele tipo de autor que brinca com o leitor fazendo perguntas: "Você deseja mesmo saber o que aconteceu?" e trabalha muito bem fazendo malabarismo com as palavras. 

Não posso deixar de falar que não só o conteúdo é bom, mas como o trabalho final do livro também é. A capa é emborrachada e possui um design que lembra histórias em quadrinhos e faz muito sentido depois que se lê a história. No começo dos capítulos temos ilustrações e durante a leitura também nos deparamos com algumas. A letra tem um tamanho grande e um bom espaçamento fazendo a leitura não ficar de modo algum cansativa.

Não tem como falar de "Quem Poderia Ser a Uma Hora Dessas?" sem trazer muitos elogios. Lemony mais uma vez nos surpreende com uma trama repleta de mistérios e perguntas erradas que deixa o leitor muito ávido na leitura e virando as páginas loucamente, o que faz a leitura acabar em um dia. E quando se termina, a última página, a última ilustração deixa um ar de continuação e o anseio por está se torna muito grande. Mais do que recomendado!

2 comentários:

Mary anne ●ω● disse...

OOi Ameii muiito seu blog, é lindoo *--*, estou ti seguindo \o retribue? por favor, vou ficar honrada e muiiito alegre ^^ ficarei lá ti esperando ^^

Inspires7 (meu blog no meu perfil)

Clara Beatriz disse...

Nunca li nada do Lemony Snicket, mas queria ler Desventuras em Série. Ele deve ser um ótimo autor, e gosto de autores que nos façam GOSTAR dos personagens, e não ficar com abuso deles. Hahahaha Vi esse livro ontem na livraria.
maravilhosomundodetinta.blogspot.com.br

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team