18/05/2012

A Hospedeira - Stephenie Meyer

A Hospedeira
Stephenie Meyer
Editora Intrínseca
557 páginas

O planeta Terra passa a ser invadido por um inimigo despercebido. Os humanos são transformados em hospedeiros dos invasores, passam a não ter mais sua própria consciência, enquanto o corpo permanece igual e a vida prossegue sem qualquer mudança aparente. A maior parte da humanidade não consegue resistir. 

Quando Melanie, um dos poucos humanos que ainda não haviam sido capturados, é encontrada, ela tem a certeza de que chegou o fim. Peregrina, a alma invasora a quem o corpo de Melanie é entregue, havia sido avisada sobre o desafio de viver no interior de um humano: emoções avassaladoras, excesso de sentidos, diversas recordações presentes. Mas existe uma dificuldade com que Peregrina não contava: a dona anterior do corpo combate a posse da sua mente.

Peregrina esquadrinha os pensamentos de Melanie, na esperança de descobrir o paradeiro da resistência humana. Melanie inunda-lhe a mente com visões do homem por quem está apaixonada - Jared, um sobrevivente humano que vive na clandestinidade. Incapaz de se libertar dos desejos do seu corpo, Peregrina começa a sentir-se atraída pelo homem que tem por missão denunciar. No momento em que uma inimiga em comum, a Buscadora, transforma Peregrina e Melanie em aliadas involuntárias, as duas lançam-se numa busca perigosa e desconhecida do homem que amam.

Eventualmente, Peregrina passa a viver com um grupo de humanos resistentes, encontrando dificuldades para ser aceita e um grande risco de ser assassinada. Porém, algumas das pessoas do local passam a se aproximar dela, incluindo o irmão mais novo de Melanie, Jamie, e um dos residentes locais, Ian O'Shea.

Ao ler o nome "Stephenie Meyer" você com certeza lembrará da saga Crepúsculo, acalme-se, A Hospedeira não tem nenhuma relação com o mesmo. O livro de Meyer é um completo estudo do comportamento humano: o ciúmes, desejo, maldade e o amor, este último sendo trabalhado por diversos ângulos: amor platônico e amor familiar. O que não deixa o livro ser um romance, mas sim uma inteligente analíse de sentimentos.

Por mais que o livro seja descrito como uma ficção científica, não há nada de aliens e máquinas voadoras, o ano dos acontecimentos nem sequer é revelado, a única ficção que temos seria a tecnologia e a modificação no comportamento humano, como por exemplo: almas sendo inseridas em corpos hospedeiros.

Pela sinopse é possível pensar que esse será mais um livro de romance e bem maçante por sinal, mas diferente disso, já nas primeiras páginas somos levados a grandes descobertas, aventuras e conhecimento de personagens que fazem total importância para o enredo, mas não são citados na sinopse. A história que envolve o livro, é muito mais daquilo que é dito na contracapa e por isso somos surpreendidos com a mudança rápida de rumo dos acontecimentos, acredite, essa mudança não decepciona. 

A criatividade de Meyer foi impressionante. Ela conseguiu escrever um livro em que duas personagens estão em uma só, sendo que a história é narrada por Peregrina, mas ao mesmo tempo podemos ver os pensamentos de Melanie, o que torna talvez a leitura meio complexa e as vezes confusa, porém interessante.
 
A autora consegue com maestria prender o leitor. Um livro grande que não é cansativo, pois a cada capítulo temos um acontecimento diferente, um acontecimento que nos permite acompanhar a trajetória da personagem e ficarmos aflitos, surpresos e alegres. Personagem esta, que diferente de Bella é bem corajosa e forte, com características marcantes. Uma verdadeira heroína.  

Sem deixar de comentar das belas cenas de ação, aventura e uma pitada de suspense e mistério. A história  é diferente de tudo aquilo que já se foi contado e realmente consegue atrair leitores de diferentes preferências. 

Não deixe que o preconceito pela autora lhe impeça de ler o livro, até porque Stephenie Meyer conseguiu provar com A Hospedeira que é uma autora de grande competência e através desta história inteligente e bem tocante consegue agradar a todos. Se você tiver a oportunidade leia, até porque o filme será lançado em 2013 e o livro está recomendado.

2 comentários:

Lucas Carvalho disse...

Adorei sua resenha, de verdade. asuhsauhsauhas
Você conseguiu transparecer bem suas opiniões, mas deixando a resenha mais analítica e formal.
Eu comprei o livro já, e espero ler em breve, estou muito ansioso. Sua resenha só aumento a minha vontade de ler.

thaic. disse...

Adoro The Host. Acho um livro mil vezes melhor que qualquer um de Twilight, mais adulto, mais centrado. Infelizmente é um pouco arrastado, principalmente no começo, mas nada que um pouco de perseverança não cure, rs. Sempre um livro que vale releitura.
Beijo, beijo,

Thai Caldas
~Três Lápis.

 
Minima Color Base por Layous Ceu Azul & Blogger Team